Benne Fatto arrasa com as novas coleções na 62a. edição da Feninjer 2016

 

A 62a.edição da FENINJER 2016 aconteceu na última semana no hotel Sheraton São Paulo WTC, a localização foi bastante apreciada pelos expositores e lojistas, devido a localização, as opções de gastronomia e lazer do complexo WTC.

Nessa Feira a Benne Fatto surpreendeu os clientes com uma nova forma de apresentação, são 15 mini coleções com aproximadamente 10 joias cada coleção. Um verdadeiro luxo!

Vermelho é a cor da paixão a cor do coração! A coleção em rubelitas com diamantes – trabalha essencialmente a pedra central com contornos em diamantes. O anel é um caso a parte,  foi criado e executado com maestria técnica, a mistura de  lapidações e cravações estão   apaixonantes… dá uma olhada nos diamantes em tamanhos degradê cravados em garras no formato de bolinhas, lindo!!!! A lateral do anel surpreende com o detalhe da cravação em trilho com diamantes em lapidados em baguetes. Apaixonante!

Irresistíveis estão as joias Benne Fatto com as tanzanitas! Vieram emolduradas em garras com diamantes que destacam a intensidade da sua cor. E a pergunta é: Quando e como usar essas joias?  Sempre! Inclusive com jeans e camiseta!

 

Sensacionais estão as joias da coleção Belle Èpoque, com morganitas e diamantes que dão o tom sem deixar de ser contemporâneas. Joias com a cara da Maria Antonieta moderna,  vieram para arrasar os corações.

Essas são algumas joias da coleção, na próxima edição conto mais novidades!!!!

Beijo

 

Silvia Caruso

 

 

 

Não me leve a mal, mas é Carnaval

Carnaval que é uma palavra que tem origem no latim “carna vale” que significa dizer “adeus à carne”.

Há quem afirme que essa festa esteja relacionada às homenagens à deusa Ísis no Egito, por volta do ano 4000 a.C. Porém, é mais concreta a ligação com as festas gregas ao deus Dionísio em 600 a.C. e às festas romanas ao deus Baco (deus do vinho. Eram festas pagãs, que se faziam em homenagem aos deuses como agradecimento pelas colheitas. Eram realizadas procissões que, com o tempo, se transformaram nos desfiles que conhecemos.

Embora muitos pensem que a origem da festa tenha sido cunhada aqui em nosso país, o carnaval chegou ao Brasil no século XVII. As fantasias de pierrô e de colombina foram logo incorporadas ao carnaval brasileiro. Durante o Renascimento, as festas carnavalescas atingiram uma grande popularidade, principalmente na Itália (em Roma e Veneza).

No início as festas de carnaval aconteciam nas ruas, com desfiles de fantasias depois, passaram a ser realizadas nos clubes, onde eram tocadas as marchas, os sambas e os frevos preparados para os festejos, foi estabelecido e fortalecido pelo Folclore.

O carnaval é celebrado 40 dias antes da Páscoa, desde o século XI. Este período é chamado pela Igreja Católica de Quaresma, que preserva quarenta dias de jejum, com abstinência de carne. Este período é caracterizado por muitas privações e por incentivar aqueles festejos carnavalescos onde a própria palavra carnaval indica os prazeres da carne. O carnaval acontece geralmente durante três dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. A terça-feira de carnaval é chamada de Terça-feira gorda, ou “Mardi Gras” como dizem os franceses. Na quarta-Feira de Cinzas, os fiéis iam à igreja católica (e muitos ainda vão) para receberem um pouco de cinza na testa, enquanto ouviam o padre dizer em latim: “Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris”  que significa:

“Lembra-te homem, que tú és pó e ao pó voltarás”.